Pobre de mim que entreguei o meu ser.

Published On 05/25/2016 » 719 Views» By Xana Santos » A Magia da Poesia, Descobertas
sem-nome
Escuto as pequenas ondas deitada na areia.
Olho- me, no reflexo da água, sinto- me tão sozinha.
Longe de mim, ando perdida.
As lágrimas são a minha companhia.
Sozinha, é como me sinto.
Espero pelas ondas enquanto vejo o meu rosto pálido, um vasto vazio,
sem que te possa escutar.
No escuro, sinto- me bem.
Não desejo mais nada, a não ser a escuridão.
Estou negra por dentro, com tamanha desilução.
É mais forte do que eu, esse sentimento com um senão.
Nua, por dentro estou- me a sentir á beira de um abismo.
Perdi algo que pensava pertencer- me.
Mas sei que nunca ireia reaver.
Posso ter mil sorrisos para dar.
Mas na verdade por dentro está a magoar.
Pobre de mim que entreguei todo o meu ser.
Para mais tarde perceber, que simplesmente fui marioneta.
Num quebra cabeças que nunca irei entender.
Xana Santos
Share this post
About The Author

Todos nós temos uma historia, vivemos dela, acreditamos nela. A minha história é partilhada aqui convosco. Os meus textos são pedaços do que sinto, em forma de poesia. A escrita é parte de mim, nela posso respirar, posso sorrir, chorar, amar.
Xana santos

Comments are closed.